Ataque de abelhas africanas matam e deformam idoso…morte brutal..

morteO borracheiro aposentado José Bazon Praxedes, 67, que residia na Rua Rosana Poppi Norberto, no Parque Vicente Leporace III, morreu ontem após ser atacado por abelhas africanas. O acidente ocorreu em um pasto, nos fundos do bairro. Familiares se depararam com Praxedes já caído e coberto pelo enxame. Eles tiveram dificuldades, mas conseguiram retirar o aposentado, que estava em cima de uma colmeia. Socorrido por uma equipe do Samu, o idoso deu entrada com vida na Santa Casa local, mas morreu quando recebia os atendimentos iniciais. Ele não resistiu ao choque anafilático causado pelas picadas e teve uma parada cardiorespiratória irreversível.

O aposentado, por volta das 10h30, segundo declarações do genro, José Eduardo Rodrigues, saiu de casa para ir ao pasto, localizado nos fundos da sua casa, colher abóboras. A área fica entre o Leporace e o Jardim Vera Cruz e a plantação surgiu a partir de sementes jogadas no local. Como o sogro estava demorando para voltar, Rodrigues foi ver o que teria ocorrido. Ele então se deparou com o corpo da vítima já coberto pelas abelhas e entrou em desespero.

Os gritos de socorro de Rodrigues chamaram a atenção de familiares, entre eles, Ronaldo Bazon Praxedes, filho do aposentado. Mesmo diante da agressividade das abelhas, os parentes conseguiram tirar Praxedes do local. O Samu já havia sido acionado e quando a equipe chegou, a vítima ainda estava com sinais vitais. Assim, foi socorrida, mas não resistiu ao choque anafilático. “Ele escorregou em uma vala e caiu em cima da colméia. Foi uma fatalidade”, disse o filho Ronaldo Praxedes.

O corpo do borracheiro aposentado está sendo velado no Centro Espírita, na Rua Airan Izaurino Leal, 1241, Jardim Portinari. O sepultamento ocorre hoje, às 16 horas, no Cemitério Santo Agostinho, com trabalhos da Funerária Francana.

Picadas provocaram inchaço e deformação no rosto da vítima
Há 13 anos trabalhando como agente funerário, Daniel Luís Marques, da Funerária Francana, disse que nunca viu nada igual ao acidente que vitimou o borracheiro aposentado José Bazon Praxedes, 67, ontem. “Foram mais de 200 picadas, que deixaram a vítima inchada e com o rosto deformado”, disse Marques. Ele retirou a maioria dos ferrões e algumas abelhas alojadas nas narinas e cabelos do idoso.

O também agente funerário Sérgio Fazio, que auxiliou na tanatopraxia (higienização do corpo), lembrou que sem a aplicação da técnica, o corpo teria que ser velado em caixão lacrado. “A tanatopraxia inverteu um pouco o quadro. Se não fosse esta técnica, não haveria nenhuma possibilidade de realizar o velório com caixão aberto”. Segundo Fazio, até o médico José Carlos Inácio, que atendeu a vítima na Santa Casa, se assustou com a deformação ocasionada pelas picadas.

Fonte:http://www.gcn.net.br/home/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s